Heróis de Todo Mundo é destaque nesta quinta feira

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Como parte das programações alusivas aos 121 anos da Abolição da Escravatura e como momento de reflexão sobre o Dia Nacional de Denúncia Contra o Racismo, a Associação Cultural Rio Brasil Arte Capoeira, exibirá, nesta quinta-feira, 14 de maio, às 19 horas para os (as) alunos (as) que participam das Oficinas de Capoeira na Escola Municipal Professora Áurea da Costa Ayres, em Magé e para a comunidade do entorno o filme HERÓIS DE TODO MUNDO. São "30 documentários apresentando aspectos da biografia de cidadãos e cidadãs brasileiras afrodescendentes, atuantes na nossa História nos campos da cultura, da ciência e da vida política. A trajetória desses heróis é apresentada por outros ilustres negros brasileiros, que reproduzem suas falas e, no final, dizem seu nome e área de atuação, qualificando-se, orgulhosamente, como "cidadão (cidadã) negro (a) brasileiro (a)".¹

Desde a aprovação da Lei 10.639/2003, nossa Associação tem levado para as escolas onde atuamos a discussão sobre as relações étnicas raciais. Uma das formas que encontramos para travar discussões com a comunidade escolar foi à exibição de filmes temáticos e logo após esta exibição realizamos debates.

O que tentamos, através deste trabalho, é criar uma identidade racial e diminuir as formas dissimuladas de racismo que ainda encontramos na comunidade. Como este debate muito pouco ou quase nada tem sido travado aqui na região, tentamos transformar o nosso trabalho num centro de referência para estas discussões. Isto tem dado bom resultado.

Aproveitaremos nesta ocasião para falarmos um pouco sobre Lima Barreto, escritor pré-modernista nascido no dia 13 de maio de 1881 e falecido no dia 01 de novembro de 1922. "Lima Barreto foi o crítico mais agudo da época da República velha no Brasil, rompendo com o nacionalismo ufanista e pondo a nu a roupagem da República, que manteve os privilégios de famílias aristrocátricas e dos militares. Em sua obra, de temática social, privilegiou os pobres, os boêmios e os arruinados. Foi severamente criticado pelos seus contemporâneos parnasianos por seu estilo despojado, fluente e coloquial, que acabou influenciando os escritores modernistas. Também queria que a sua literatura fosse militante. Escrever tinha finalidade de criticar o mundo circundante para despertar alternativas renovadores dos costumes e de práticas que, na sociedade, privilegiavam pessoas e grupos. Para ele, o escritor tinha uma função social".²

Este mês é para nós especial: nasceram o geógrafo Milton Santos (03/05); Lima Barreto, já citado, e Malcolm X (19/05). Lima Barreto e Milton Santos, inclusive, estão neste documentário.

Serviço:

Filme: Heróis de Todo Mundo

Data: 14 de Maio de 2009

Local: Escola Municipal Professora Áurea da Costa Ayres

Rua Dois, nº 173 – Vila Esperança – Magé – RJ

Horário: 19 horas

Informações: 21 8135-9232

Fonte: ¹ Saberes e fazeres, v. 2: modos de sentir/coordenação do projeto Ana Paula Brandão - Rio de Janeiro - Fundação Roberto Marinho, 2006

² Wikipédia - a enciclopédia livre

Para saber mais: A Cor da Cultura

0 comments

Postar um comentário